Dia 16 – Castro Valley

Hoje foi o primeiro dia vocacional de todo IGE. E, atenção, este post contém spoilers sobre os próximos episódios. Então, eu e Kern saímos de casa para visitar uma pequena agência local. Na verdade, o lugar é mais uma gráfica rápida do que uma agência. O cara fornece brindes, papelaria, camisetas e sites. Mas o forte dele é a impressão do material. É uma empresa bem pequena, que existe há mais de 20 anos e vem tentando se ajustar às necessidades do mercado. Oi, mas esse blog não era um diário de bordo? Pois bem, a visita terminou com o proprietário tentando me convencer que PC é muito melhor que Mac, inclusive no quesito qualidade de imagem.

Logo depois fomos para Oakland visitar o departamento de comunicação do banco em que o Kern trabalhava. Preciso dizer que agora o relacionamento entre hóspede e hospedeiro está bem melhor. Longe dos outros, mas bem melhor. No banco, descobri que eles estão vivendo uma situação muito parecida com que o pessoal do Uni viveu. O banco foi vendido recentemente e o novo dono já trabalha com uma agência, então o pessoal do departamento de comunicação está meio perdido, com uma redução enorme na equipe e tal. Mas lá fomos nós.

Se pensarmos que era um departamento de comunicação, a estrutura era incrível. Eles não trabalham com duplas pré-estabelecidas, são vários diretores de arte e vários redatores. Tem uns 2 produtores gráficos, alguns profissionais de tráfego, RTVC… igual uma agência grande no Brasil. A moça que nos recebeu era muito simpática e a conversa rendeu que foi uma beleza!

Depois do almoço voltamos para Castro Valley e fizemos uma horinha até o Kern me levar para encontrar o Allan que, por sua vez, me levou para conhecer a sede do REAA. A partir de agora o post é dedicado aos amigos DeMolays e maçons.

O prédio todo é muito bem decorado. Muito ricamente decorado, para falar a verdade. Vários detalhes dourados, cortinas de veludo, muita madeira, muito gesso. E o legal aqui é que cada Rito adota um tipo de serviço filantrópico. Por exemplo, o REAA tem uma espécie de asilo, o Rito de York fornece próteses para crianças… e assim vai.

Fachada do prédio que dá para um lago bacana.

Salão de banquetes

Outra visão do salão de banquetes

Detalhe do teto na entrada.

Hall de acesso ao banheiro feminino. Oi?

Sala de confraternização dos irmãos para antes das reuniões.

Biblioteca que pode ser transformada em templo

As próximas fotos não estão muito boas porque o nosso guia não ficou muito feliz quando pedi para tirar fotos do templo. Nem sei por que. Primeiro porque não parece templo. Depois porque eles alugam o lugar para festas de formatura de colégios. Ou seja, nexo não é exatamente o forte do colega.

Vista do prédio. Adoro a bandeira da California.

Terminada a visita, fomos para a casa do Allan tomar um vinho e fazer hora até o horário do jantar. A equipe de IGE se reuniu em um bar para jantar e conversar um pouco. Nilza foi visitar um hospital, Andrea e Flávio foram visitar uma escola e Marcelo foi para San Francisco participar de uma conferência sobre meio ambiente. Inclusive, o Marcelo é o que mais está aproveitando a viagem em termos profissionais.

Nesse bar eles servem umas cervejas artesanais muito boas. Tomei uma de laranja que era muito gostosa! Como eu tinha a reunião DeMolay em duas horas, não pude experimentar outras.

Seguimos então para a reunião dos meninos. Legal demais! Aquela coisa, o pessoal é bem mais frio que no Brasil. Alguns poucos meninos chegaram para conversar, os que vieram foi porque algum tio chamou. Mas a estrutura é a mesma. Tem o Conselho que dá palpite, o tio empolgado que quer ver a coisa funcionando, o senior mala que dá palpite em absolutamente tudo, os DMs empolgados e outros que não sabem o que estão fazendo lá. Além disso, contamos com a presença de mães, pais e irmãs durante toda a reunião. O ritual é exatamente igual, nos mínimos detalhes. E os pais assistem tudo!

Durante a reunião, um dos seniores comentou que eles tinham um convidado especial do Brasil e que seria legal se eu pudesse falar uns 10 minutos sobre a ODM no Brasil. Coisa boa… falar 10 minutos, sem me preparar, em inglês e sem nenhum recurso audiovisual. Ainda bem que era sobre um tema que eu domino. Deu tudo certo! =D

Terminada a reunião ritulística, me entra uma menina com coroa e faixa. Era a Sweetheart do Capítulo. Até que a iniciativa é interessante. Ela faz a chamada, confirma se todos os assuntos agendados foram realmente discutidos em reunião e… confere se os meninos estão devidamente vestidos (!!!).

Ah, pode clicar na foto abaixo que ela fica grande. (Insira aqui sua piada de conotação sexual)

Capas e roupas coloridas!

Depois foi a hora de interagir de verdade. Ganhei um ritual em inglês e dei o meu em português (que só vai servir de souvenir, né?). Entreguei também alguns pins dos 10 anos do meu Capítulo e outros de DM no Brasil. Se o Gui Santos estiver lendo isso, vai gostar de saber que agora tem um DeMolay americano feliz da vida usando um pin do SCODB.

E mais uma sessão de fotos do templo. Não é todo dia que se vê um do rito de York, né?

Porta A

Porta B

2C

1C

MC

Essa cadeira ficava de frente para o 2C. Não sei quem senta aí na reunião dos bodes.

Em seguida fomos pra casa. Infelizmente os meninos já estavam dormindo. Como amanhã o dia começa cedo, entreguei os presentes hoje mesmo. E foi super legal, ganhei alguns presentes típicos da Ucrânia, mostrei as fotos do Brasil e a conversa rendeu bastante. Acho que agora eles entenderam o que eu estava fazendo lá. =D

Anúncios

0 Responses to “Dia 16 – Castro Valley”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s





%d blogueiros gostam disto: